Estudantes apresentam projeto de sensor de decibéis para facilitar aprendizagem em sala de aula

08/11/2018 01:11:44

Além de incomodar os professores, o barulho excessivo em sala de aula pode ocasionar problemas à saúde e ao processo de aprendizagem. Diante dessa situação, um grupo de estudantes do Colégio Sesi-CIC, de Curitiba (PR), desenvolveu um projeto que visa diminuir essa poluição sonora.

Por meio de uma placa de som conectada a um Arduino – uma plataforma de prototipagem eletrônica de hardware livre – é possível captar o volume do ambiente em decibéis (dB). Na sequência essas informações seguem para uma lâmpada LED. “Para valores entre 0 a 69 dB acende uma luz verde, entre 70 e 84 dB, azul, e e vermelho para acima de 85 dB, volume já considerado nocivo”, explica a estudante Poliana Cristine de Pena. Depois disso, o sistema ainda pode enviar mensagens para os celulares dos alunos por meio de um aplicativo. “Se o volume não for controlado, a mensagem é enviada novamente a cada 40 segundos”.

De acordo com Lívia Pedrosa Teixeira, a ideia surgiu com base numa experiência vivenciada na própria sala de aula. “Um aluno autista tinha muita dificuldade e precisava sair de sala para se concentrar. A partir disso, percebemos que o barulho não afetava apenas os autistas, mas pessoas com déficit de atenção e alunos em geral, causando muita dispersão”.

Para basear o projeto, as alunas aplicaram um questionário aos professores do colégio. A pesquisa comprovou tanto a existência da poluição sonora, como que é prejudicial para o ensino. “Além de melhorar o desempenho escolar, a intenção é integrar alunos autistas ou com déficit de atenção”, complementa Giovanna Ferreira Cintra.

O próximo passo do grupo, que foi coordenado pela professora Amanda Pugsley Nacarato, é ampliar a área de atuação para outros ambientes, como escritórios, visando principalmente a inserção de pessoas com autismo e déficit de atenção no mercado de trabalho.